Guia de Estrias

Prevenir o aparecimento e reduzir a aparência das estrias já existentes na pele? Sim, é possível! Descubra como tratá-las e recupere o aspecto uniforme da pele.

As estrias são marcas listradas de diferentes tons na pele que, de início, assustam muitas pessoas. Elas surgem quando a pele sofre estiramentos frequentes causados por diversos motivos – explicados a seguir – e suas fibras rompem devido a isso. Felizmente, ao contrário do que se pensa, as estrias possuem, sim, tratamento com cosméticos específicos para o problema. O grande segredo para recuperar a pele está na detecção precoce das marcas.

Para ajudar na missão de combate às estrias, preparamos as dicas abaixo que, além de tratar as marcas já existentes, previnem que a pele sofra novamente com elas.

O que é a estria?

A pele possui um nível natural de sustentação proporcionado pelos fibroblastos, células que produzem o colágeno e elastina, o responsável pela flexibilidade das suas fibras. Porém, quando os estiramentos são frequentes e repentinos, as fibras podem se romper, fator conhecido como estria. As marcas surgem na pele como forma de cicatriz da lesão sofrida e têm diferentes estágios:

Estrias vermelhas ou arroxeadas: aqui, as marcas ainda contam com circulação sanguínea e caracterizam-se pelo aspecto inflamatório, o que indica o início das lesões.

Estrias rosadas: essa é o início da cicatrização da lesão, em que a circulação de sangue na área é reduzida e as chances de tratamento diminuem significativamente.

Estrias brancas: é o fim da cicatrização das lesões pelo organismo, momento em que a circulação de sangue não acontece mais. Os cuidados precisam ser mais intensos e, mesmo assim, garantem a redução parcial das marcas.

O que causa as estrias?

O tratamento para estrias deve começar logo após o corpo passar a sofrer mudanças que gerem aumento de peso e das formas, causados por dois fatores:

Hormonal: a partir da fase da puberdade, os jovens entram na fase de desenvolvimento e isso inclui o crescimento e o aumento de peso. Já na gravidez, os hormônios impedem a ação dos fibroblastos.

Mecânico: quando a pele é tensionada excessivamente, por conta do ganho excessivo de peso ou do aumento de massa muscular, por exemplo, as fibras elásticas se rompem e, com isso, aparecem as estrias.

Principais ativos no tratamento para estrias

As fórmulas desenvolvidas para o tratamento das estrias contam com tecnologias à base de ingredientes que estimulam a produção de colágeno e elastina nas células, melhoram a hidratação e evitam a oxidação e, consequentemente, o enfraquecimento das fibras da pele.

Ácido retinoico e glicólico: regeneram as células das fibras danificadas, restauram o colágeno e diminuem o comprimento e largura das marcas.

Óleo de Rosa Mosqueta e de Semente de Uva: seus ácidos graxos tem ação anti-inflamatória e antioxidante que agem diretamente na cicatrização e previnem o surgimento de novas estrias.

DICA PROFISSIONAL DA BELEZA: esfolie a pele antes de utilizar os tratamentos de estrias. A remoção da camada de células mortas da pele estimula a renovação celular e melhora a absorção dos ativos.

Vitamina B, C e E: combinação antioxidante e regenerativa relacionada à síntese de colágeno, que ainda tem poder de hidratar a pele e melhorar sua elasticidade.

Zinco: possui papel fundamental na formação estrutural da derme por meio do aumento da síntese de colágeno e elastina.

Para aproveitar ao máximo o tratamento contra as estrias, prepare a pele com o Guia de Esfoliantes.

- Por Marcelo Petit