Os benefícios dos probióticos para a pele madura

Os probióticos para a pele madura ajudam na proteção do colágeno, na hidratação e até na recuperação de sensibilizações, como conta um médico.

Compartilhar:

Com o passar do tempo, a pele encara transformações – fato! A SBD conta que, tecnicamente, o envelhecimento pode acontecer de dois jeitos: o intrínseco – relacionado especialmente à saúde de dentro do corpo – e o extrínseco, que vem de tudo que a pele entra em contato, como poluição e raios solares. 

Mas quer uma notícia legal? Os probióticos para a pele madura podem dar uma ajudinha extra nestes momentos de transformação, como vamos te contar:

Qual a relação entre os probióticos e a pele madura?

Do começo: se você já ouviu falar das bactérias boas que habitam nosso intestino, a pele passa por uma lógica parecida, como conta o dermatologista Amilton Macedo. 

“A flora, ou microbiota da pele, é uma colônia de microrganismos de diferentes espécies como  bactérias, fungos e vírus que estão presentes nas camadas superiores da nossa derme. Apesar de não conseguirmos enxergá-los, eles habitam e fazem parte da proteção natural, mantendo a pele saudável, evitando doenças, controlando o pH, ressecamento e a sensibilidade da epiderme”. 

Então, se os probióticos mediam um pouco do contato da pele com o ambiente externo, eles têm relação certa com a velocidade com que as transformações afetam este tecido do corpo.

Probióticos e colágeno

O colágeno é quem dá a sustentação e o dermatologista conta que sim, há uma relação entre probióticos e colágeno para a pele madura.

“Quando bactérias ruins se estabelecem na nossa pele, elas fazem com que as metaloproteinases (MMPs) ou “enzimas do envelhecimento”, que antes eram produzidas no interior das células da pele, sejam desenvolvidas também na parte exterior”. De acordo com Alberto, essas enzimas têm a capacidade de romper a proteção da camada externa da pele e degradar as proteínas – o colágeno e a elastina – que mantêm a pele firme.

“Mas, quando utilizamos cosméticos que possuem probióticos na composição, eles entram em ação na pele restauram o equilíbrio da microbiota, para que estas enzimas do envelhecimento não colonizem a pele e degradem a matriz de colágeno”. É assim que os probióticos mantém a pele saudável por mais tempo: reforçando a barreira de proteção dela.

Probióticos e radiação solar

Neste blog já reforçamos, mas aqui vai mais um: o protetor solar é imprescindível no seu skincare, viu? E não somos nós quem falamos, são os dermatologistas “a exposição aos raios ultravioleta, ou raios UV, é o principal fator que causa o envelhecimento precoce da pele”. 

Além do protetor, as bactérias boas – ou até uma junção dos dois – pode ser ainda mais incrível, de acordo com a ciência. “Estudos já comprovaram que o papel dos Lactobacillus é inibir as metaloproteinases, como a colagenase e elastase: as enzimas responsáveis pela degradação a partir dos raios solares”.

Mas não para por aí, já que os probióticos em pele madura ainda têm mais benefícios, como conta o Dr. Amilton. “O uso de probióticos pode auxiliar na proteção contra a radiação ultravioleta, pelas propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anticancerígenas, além da proteção da melanina na pele”. 

Mais alguns benefícios dos probióticos para a pele madura

Quer mais? Se não te convencemos até agora, aqui te trazemos mais pontos positivos de um skincare à base de probióticos, segundo o médico.

  • Hidratação da pele;
  • Efeito antioxidante e eliminação dos radicais livres;
  • Melhora na sensibilidade da pele;
  • Reconstrução da ecoflora cutânea;

Muitas coisas boas, de fato! Mas, fica o lembrete: antes de inserir qualquer produto novo na sua rotina, sempre vale uma conversa com seu dermatologista. “Vale ressaltar que o mais recomendado, antes de iniciar o uso de produtos à base de probióticos, é a busca por um especialista para entender e indicar a melhor forma de utilizá-lo. O uso  inadequado pode causar reações alérgicas e efeitos colaterais indesejados”, alerta, por fim, Amilton.

- Por Isabelle Guedes