- Por Gui Takahashi

Como ficar bronzeada no inverno

Que tal ter seu sol particular, o ano todo! Pois o nome dele é autobronzeador. Aprenda a manter a cor e fugir do branco escritório mesmo nos meses mais frios.

Cor de férias

No ápice dos meses de frio, aquelas férias na praia parecem uma lembrança longínqua. Pés na areia, água de coco, sol de 40° e um bronzeado hot ficaram só na foto? Bem, não dá para devolver o cenário paradisíaco (a menos que tenha passagens para o verão europeu), mas temos o segredo para você manter a cor mesmo sob neve!

Opção segura

Isso é possível graças aos autobronzeadores. Eles são a opção mais segura, por darem cor à pele sem a necessidade da exposição às radiações solares, que podem queimar, levar ao envelhecimento precoce ou até ao câncer de pele. “A única contraindicação é se houver alergia aos componentes do produto, mas isso é raro acontecer. O importante é a pele estar sem lesões para que o produto possa agir”, conta a dermatologista Patricia Nakahodo. Pode parecer milagre manter a cor do verão mesmo em temporadas geladas, mas isso é possível por causa de um ativo chamado diidroxiacetona. “Ele e os demais componentes dos autobronzeadores reagem com as proteínas da superfície da pele, sem alterar o processo de formação de melanina”, explica a expert.

Escolha certa

Hoje é possível encontrar vários tipos de autobronzeadores, variando de texturas entre cremes, loções, géis, sprays. Por mais que eles não possuam necessariamente diferença na potência do bronzeado (o que vai depender da concentração de ativo no produto), podem garantir mais conforto ou aplicação mais prática. Para saber qual colocar na sacola, Patricia diz: “No rosto, peles oleosas se adaptam melhor a fórmulas em gel ou loção oil free. Já no corpo, sprays e loções são mais fáceis de espalhar”.

Pele suave

Para parecer que você acabou de voltar de uns dias em St. Barths, é necessário alguns cuidados com o autobronzeador. “A pele deve estar o mais hidratada e homogênea possível. Se estiver descamando, por exemplo, poderá ficar manchada”, diz a médica. Assim, é importante usar um esfoliante antes, garantindo um melhor acabamento, de cor uniforme.

Dicas de ouro

O jeito de passar o autobronzeador é espalhando de forma regular, evitando repetir as mesmas regiões para não haver manchas. Alguns produtos têm até uma textura mais brilhante para indicar os locais onde já aconteceu a aplicação. Mesmo assim, algumas partes do corpo pedem atenção extra. Patricia recomenda: “Evite passar o autobronzeador diretamente sobre os joelhos e os cotovelos, que possuem dobras e podem ficar marcados. O melhor é aplicar nas áreas extensas e espalhar puxando o produto para as juntas”. Outro alerta da expert é para as palmas das mãos e plantas dos pés. Como elas possuem mais queratina, que são proteínas, reagem com o autobronzeador e podem ficar mais escuras. Aí, na hora da aplicação vale usar luvas para evitar o inconveniente. Já para o rosto, a indicação é espalhar da forma mais homogênea possível seguindo a dica da dermato de aplicar na área lisa da pele e puxar em direção às partes com pelos como sobrancelhas e raiz do cabelo.

Efeito prolongado

Depois de aplicar o autobronzeador, espere ele secar completamente para então se vestir. Caso contrário, você poderá manchar o tecido. Como no tempo gelado é difícil ficar passando frio enquanto o produto seca, vale até usá-lo apenas nas partes aparentes como rosto, pescoço, colo e braços. O banho deve esperar cerca de 8 horas para não remover o bronze. E para mantê-lo por mais tempo, a dermato dá a dica: “Quanto menos esfoliar a pele depois, melhor a duração do bronzeado. Além disso, use demaquilantes não alcoólicos”. Nakahodo ainda indica usar o autobronzeador diariamente até alcançar o tom desejado e então reaplicar a cada 20 dias para manutenção.