- Por Karina Hollo

7 mitos e verdades sobre filtro solar

O FPS precisa mesmo ser alto? Base realmente protege? Antioxidantes são essenciais? Nosso expert responde.

Olha o feriado vindo aí, gente! Você não consegue parar de pensar em fazer as malas e separar seu kit praia: biquíni, saída esvoaçante, chapéu, óculos de sol e… protetor solar. Mas antes de montar seu arsenal, tire suas dúvidas sobre o que é realmente importante e essencial na hora de proteger a pele.

1 FPS alto protege mais?

“Sim. Quanto mais alto o FPS, maior a proteção. Mas, acima de 30, que é o mínimo, a proteção não sobe tanto. O protetor fica oleoso, pegajoso e nem todo tipo de pele aceita”, fala o dermato.

No entanto, o FPS, mesmo alto, leva em consideração apenas a questão do eritema, a vermelhidão. Os raios UVB e InfraRed furam o bloqueio dos filtros químicos de alguns produtos de fotoproteção e causam dano celular que provoca flacidez.

O melhor, nesse caso, é investir em produtos que contenham filtros físicos bloqueadores à base de dióxido de titânio, óxido de ferro e zinco. Eles são como uma parede de tijolos onde a luz bate e volta. Não tem absorvência, tem refletância.

2 Base protege?

“Sem dúvida. É uma barreira mecânica à passagem da luz. A base confere uma proteção adicional ao filtro solar“, fala dr. Abdo. E a cor, hoje, é o que mais protege contra a luz visível. Protetor solar de alta cobertura, com base e cor, fazem parte dos últimos lançamentos em fotoproteção.

3 Luz visível mancha?

“Sim. Por isso que mesmo à noite você corre o risco de desenvolver mancha e melasma. A luz também é um vetor – e não somente a radiação UV. Existe ultravioleta, luz visível e infravermelho. Os três podem manchar a pele“, explica ele.

4 Sol causa fotoenvelhecimento?

“Sim! A luz UV vai rompendo as fibras de colágeno, além de alterar o DNA das células que produzem essa substância. Ela envelhece mais do que a própria idade!”, alerta ele. O envelhecimento fotoadquirido = formação precoce de rugas, manchas, mudança na textura da pele, angiogenese (formação de novos vasos) e flacidez, que tem relação grande com o UVA.

5 Como fazer a fotoproteção com antioxidantes?

Os filtros solares modernos devem ter elementos multifuncionais, como ação antioxidante para imediatamente reparar o processo inflamatório formado na pele. Vale complementar a fotoproteção com alguns antioxidantes importantes como as vitaminas E, C, A, B3, o resveratrol, o ácido elágico da romã, extrato de blueberry e extrato de Edelweiss.

6 A fotoproteção oral é indispensável?

“Em alguns casos, como quando tratamos doenças fotossensibilizantes e melasma, é bem útil”, diz o médico. Os filtros imunoprotetores via oral mehoram a resistência cutânea e imunológica. Os mais importantes são o Polipodium Leucotomus, Picnogenol, Astaxantina, Luteina, Extrato de White e Green Tea, Resveratrol e ácido elágico da Romã, sempre associando ao uso de silício orgânico Exsynutriment para melhora do aspecto da flacidez.

7 Fotoprotetor bloqueia a vitamina D?

Não! Isso é um mito“, garante Abdo. Bastam alguns minutos de exposição ao sol para a vitamina D ser produzida.