Protetor solar com cor ou sem: qual escolher?

Se você tem dúvidas entre protetor solar com cor ou sem, saiba que, sim, tem diferença. A dermatologista Luciana Passoni explica!

Com o verão batendo à porta é hora de renovar a proteção, mas em qual apostar: protetor solar com cor ou sem? Se essa é a sua dúvida, saiba que não está sozinha, muitas pessoas ficam confusas na hora de escolher.

Para ajudá-la a optar pelo protetor solar com cor ou sem, conversamos com a dermatologista e expert, Luciana Passoni, que explicou as principais diferenças entre eles. Confira!

Com cor x sem cor

A principal diferença entre um e outro é que o protetor solar com cor cria uma barreira mecânica na pele. “É como se fosse uma capa em cima da pele. Por exemplo, os índios usam a lama para se proteger contra o sol, e por conta da cor marrom da lama, eles têm essa proteção mecânica”, conta. Diferente do filtro solar químico, que pode reagir com a pele, e o físico, que não reage com a pele, mas têm substâncias que formam um filme que não deixa a luz UVA, UVB e UVC entrar.

Protetor e o melasma

Quem tem melasma sabe que o protetor solar é indispensável. “O melasma é uma hiperpigmentação de difícil controle, um excesso de produção de melanina em algumas áreas, então quanto mais proteção essa pele tiver, melhor. Um filtro químico ou físico com a barreira mecânica que é a cor, vai proteger muito mais”, revela.

Vale lembrar que mesmo com essa barreira extra é obrigatório reaplicar o filtro durante o dia, o que pode ser feito com pó compacto, base, entre outros.

Escolha ideal

Luciana revela que a escolha do filtro solar varia muito com o que cada um gosta. “Eu tenho pacientes que não gostam das cores do filtro solar e acham que não se adaptam ao tom de pele, mas, hoje, as marcas investem no Color Adapt, e as que não investem contam com muitas cores, então é difícil os pacientes não se adaptarem. Mas eu, particularmente, prefiro que todos os meus pacientes usem protetor solar com cor”, indica.

- Por Aline Marchiori