Fitness: o que pode sabotar a sua dieta

Você corre, pula, luta, faz dieta da lua, do sol, dos elementos todos e não perde sequer um quilinho. Acredite: você não é a única. Veja o que pode estar atrapalhando o seu Projeto Verão.

Chega uma fase do #ProjetoVerão em que tudo parece se arrastar: o ponteiro da balança já não cai tão depressa quanto no começo, você se sente pressionada com a estação se aproximando, bate um desânimo… Tudo isso pode interferir – e muito – nos seus resultados. Respire fundo. É hora de manter a calma, consultar a nutri, rever a dieta e seus hábitos.

Festinhas de fim de semana

Fazer a dieta toda certinha de segunda à sexta e chutar o balde no fim de semana. Quem nunca? A nutricionista funcional Francesca Holanda, da Clinica Alessandra Haddad, em São Paulo, sugere que essa “pulada de cerca” aconteça com moderação: “Não é para fazer isso o fim de semana todo. Escolha um dia, sábado ou domingo, e apenas uma refeição”.

Ansiedade

Cena muito comum entre as mulheres: ficar nervosa, triste, feliz ou ansiosa e descontar na comida e nos doces (alô, brigadeiro). Francesca explica o porquê: “Você desregula os neurotransmissores quando faz dietas de restrição calórica e, para melhorar o humor e a serenidade, se rende à compulsão alimentar”. A boa opção é comer alimentos de qualidade, em intervalos pequenos, para não alterar o sistema nervoso.

 

 

Dormir pouco

Dormir pouco diminui a produção dos hormônios que aceleram o metabolismo, dificultando a perda de peso. Melhor dormir entre 6 e 8 horas, no mínimo, respeitando sua necessidade de sono.

 

 

Comer rápido

Você almoça vendo tevê, mexendo no celular, sem prestar atenção no quê e quanto está comendo? Repense. “O momento da refeição é quase sagrado: cerca de 30 minutos, no mínimo, para as principais refeições”, recomenda a nutri. Também é preciso ficar atenta à boa mastigação: quando bem mastigado, o alimento é facilmente digerido e “afasta” o ganho de peso.

 

 

 

Fazer sempre o mesmo prato

Se a sua panela já está quase cozinhando o filé de frango sozinha, é hora de mudar. “Para se manter magro ou emagrecer, o organismo deve estar equilibrado nutricionalmente”, explica Francesca. É interessante ter um cardápio variado, para que não haja carência de nenhum nutriente – o que traz prejuízo à saúde e compromete a perda de peso.

Ficar muito tempo sem comer

Jejum ou grandes intervalos entre as refeições causam aumento do cortisol (hormônio do stress), que leva à desaceleração do metabolismo, ao aumento da ansiedade e da irritabilidade e diminuição da massa muscular – tudo o que você não precisa na vida, certo? Em seguida, vem aquela forte compulsão alimentar. “A variação de tempo entre as refeições vai depender de cada um. O ideal é comer no máximo de 3 em 3 horas”, indica a nutricionista. Os lanches variam de acordo com o seu objetivo, mas podem ser frutas, alguns snacks light, castanhas, damascos…

Assaltar a geladeira

Quando há “ataques” à geladeira na madrugada, pode ter certeza de que os hormônios e os neutrotransmissores não estão em equilíbrio. “É um distúrbio alimentar que requer tratamento direcionado. Na madrugada é pior, porque na maioria dos casos está relacionado à baixa de neurotransmissores do relaxamento, que cuidam da qualidade do sono, aumentando a vontade de carboidratos e resultando no aumento de peso.”

Não beber água

Beber água é imprescindível! Dois litros por dia, é o indicado. Os chás são válidos também, mas fique atenta: “Alguns, em excesso, têm ação diurética que excretam minerais importantes para a saúde, prejudicando a hidratação de qualidade”, alerta a nutri.

 Fazer dietas da moda sem orientação

São as chamadas “sad diets” (dietas tristes), que emagrecem logo de cara, mas podem ter consequências sérias como efeito rebote, depressão, além de comprometer a saúde. Toda dieta deve ser acompanhada por um profissional, respeitando seus limites, sempre!

- Por Fran Vergari