- Por Karina Hollo

Cremes anti-idade

Hoje, só tem pele envelhecida quem quer. Nossas experts contam tudo sobre os novos ativos que mergulham seu rosto na fonte da juventude!

Não pense, não, que você está fora dessa: “A partir dos 21 anos, a pele começa a diminuir em espessura.

Fatores externos como ser fumante e não usar filtro solar também ajudam a acelerar o envelhecimento do rosto e do corpo!”, avisa a top dermatologista Carla Vidal.

Sem falar que, quanto antes você começa a cuidar, mais consegue adiar os efeitos do tempo – leia-se linhas finas de expressão, manchas, perda de tônus, poros abertos (que, com o passar dos anos, se juntam e, a cada três, formam uma ruga profunda!).

 

“Na minha opinião, o que há de mais vanguardista na cosmetologia são as imensas possibilidades agora abertas pela nanociência e nanotecnologia”, fala a cosmetóloga Sônia Corazza.

“Com os materiais nano estruturados (estruturas milhares de vezes menores do que a espessura de um fio de cabelo humano!) podemos manipular átomos e moléculas como nunca antes havíamos conseguido.

Dessa forma, podemos criar mecanismos diferenciados para entrega de princípios ativos e novas moléculas com arquiteturas especiais, produzido ingredientes inovadores, com propriedades específicas e controladas.”

AHAs, ácido hialurônico, vitamina C são poderosos e ficam ainda mais com a nanotecnologia. “Dá para transportar essas substâncias através da pele, fazendo-as atingir o ponto exato de uma célula.

Por exemplo: a vitamina A e seus derivados, como os retinóides, que comprovadamente agem na camada basal estimulando a produção de células sadias, vão conseguir chegar exatamente onde precisam para conseguir um rejuvenescimento bem mais intenso!”, fala Sônia.

Vale só lembrar que quem tem tendência a rosácea deve evitar o uso do ácido retinóico. “Como substitutos temos, por exemplo, o ácido glicólico ou azelaico.

Outro ponto a ser ressaltado é que o uso em excesso do ácido retinóico pode resultar em um aumento de vasinhos”, alerta Carla.

E vem aí a nova geração de princípios ativos. “O Opextan, que está sendo lançado agora, pode ser usado via oral ou em uso tópico.

Ele é extraído da oliveira e reduz a sensibilidade da pele em relação aos raios UV”, conta Carla. Outro grupo que chegou para lutar contra o tempo são os ativadores do sistema imunológico.

“O Imudilin e o Immucell estimulam os mecanismos de autoproteção da pele, aumentando a quantidade de fibras de sustentação, combatendo a flacidez e as rugas de uma pele envelhecida.

Já o Betaglucan, um polissacarídeo obtido por biotecnologia de uma espécie de levedura, estimula a atividade de células específicas do sistema imune da pele, protegendo contra efeitos nocivos não imediatos da radiação UV, que não são abrangidos pelos filtros solares, diminuindo a formação de radicais livres”, completa Sônia.

“Agora, no inverno, se fala muito no Acupulse, laser de CO2. Ele aumenta a espessura da derme e estimula a produção do colágeno e da elastina”, fala Carla.

Em outras palavras, colabora para uma pele mais firme, jovem, longe da flacidez e das linhas de expressão.

E tem também o Fotona, usado para o rejuvenescimento da pele, no tratamento dos sulcos ao redor da boca, do “código de barras”, e de linhas na região dos olhos.

Tudo isso com menos dor, por combinar dois tipos de lasers, o ND Yag e o Erbium Yag.