Como fazer limpeza de pele

A limpeza de pele é passo fundamental na rotina diária de cuidados. Ignorar o ritual de limpeza diário envelhece, dá rugas, tira a vitalidade da pele...

“O ritual de limpeza de pele diária tem o papel de remover as células mortas, a maquiagem, o excesso de gordura e sujeira, a poluição, facilitando a penetração dos princípios ativos dos produtos que serão aplicados na sequência”, diz a dermatologista Denise Lage. A seguir, os quatro passos ne-ces-sá-ri-os para uma limpeza de pele perfeita!

Sabia que lavar o rosto sem antes remover a maquiagem é como tomar banho vestida? Por isso, não dá para dispensar o uso do demaquilante. “Nenhum processo de limpeza facial é completo se a maquiagem usada o dia todo não for totalmente removida. Antes de higienizar em si, é preciso lançar mão de demaquilantes. Eles, inclusive, evitam as irritações de pele causadas pelos vestígios de make”, diz Denise.

Lembre-se que antes de fazer qualquer coisa no rosto, seja uma maquiagem ou algum passo da rotina de skincare, é necessário estar com as mãos limpas!

Primeiro, lave o rosto com um sabonete indicado para o seu tipo de pele. “Loções e sabonetes neutros funcionam bem para peles normais. As ressecadas pedem produtos hidratantes. Oleosas necessitam de uma limpeza mais profunda”, indica Denise.

Fica a dica: a água quente ou morna aumenta os riscos de ressecamento e pode até induzir a produção exagerada das glândulas responsáveis pela acne. Melhor fria.

A esfoliação, para eliminar as células mortas, é indicada de uma a duas vezes por semana. Ultrapassar esse limite pode sensibilizar demais a pele, se ela for seca, ou aumentar a produção de sebo, se ela for oleosa. As sensíveis devem seguir as recomendações médicas.

A loção tônica, também específica para seu tipo de pele, serve para equilibrar o pH e preparar o rosto para absorver melhor os ativos dos cremes anti-idade. Ela deve ser aplicada sobre o rosto limpo. Se tiver pele oleosa, apele para um tônico adstringente. “Esse ritual deve ser realizado de manhã e à noite.”

 

- Por Karina Hollo