Afinal, o que é clean beauty?

Mais do que buscar cosméticos naturais, o clean beauty foca na busca de uma beleza livre de ingredientes que façam mal para saúde. Entenda!

O termo clean beauty, que em português significa “beleza limpa”, vai além de tudo o que já falamos sobre cosméticos veganos, naturais e orgânicos. A ideia aqui é buscar cosméticos cada vez mais limpos, com ingredientes que não afetem a saúde e causem desequilíbrios no organismo.

Um fato interessante é que o clean beauty vai além dos cosméticos, trazendo um debate importante sobre sustentabilidade e consumo consciente. Quer entender melhor? A dermatologista e expert, Patrícia Nakahodo, explica!

O que é?

Patrícia revela que ainda não existe uma definição oficial para clean beauty, mas a ideia é que esses cosméticos não sejam tóxicos e nem nocivos ao corpo. “Ou seja, eles não podem induzir alterações hormonais, irritações cutâneas e nem mesmo induzir tumores a curto, médio e longo prazo”, conta.

Alguns dos ativos mais comuns dos cosméticos que não devem estar em um produto clean beauty, são os parabenos, sulfatos, conservantes e filtros químicos. É muito importante que na embalagem do cosmético haja um transparência em relação aos ingredientes, contendo todos os ativos do produto.

Diferente de vegano e orgânico

Como esse conceito ainda não está regulamentado é comum que as pessoas o confundam com cosméticos naturais, orgânicos e até veganos, mas são coisas distintas. “Os cosméticos naturais devem conter 95% da sua composição com ativos da natureza, mas os outros 5% podem ser de orgânicos ou sintéticos. Já os orgânicos, contam com produtos naturais na composição e sua cadeia não pode agredir o meio ambiente. E os cosméticos veganos não utilizam nem um componente animal na sua composição, nem derivados ”, conta.

Porém, há muitos ativos de clean beauty que podem ter origem animal ou artificial, por exemplo, mas que não tragam malefícios ao organismo. Vale ficar de olho nos rótulos!

Foco na sustentabilidade

O movimento do clean beauty, além de se preocupar com a toxicidade dos ativos no corpo, também traz um debate interessante sobre sustentabilidade.

Além de ler o rótulo do cosmético que deseja consumir, eles estimulam a analisar os valores da marca, o quanto aquilo o que está comprando é sustentável. Qual é o impacto dele no meio ambiente durante a sua cadeia de produção?

Outra questão é a do consumo consciente, do menos é mais. O foco está em comprar produtos que terão uso e não em itens limpos que ficarão apenas na sua bancada.

Clean beauty funciona?

A resposta é sim! Depende da sua necessidade e do que o produto oferece. “Mas é possível conseguir uma boa hidratação, melhorar a textura da pele… Enfim, cada vez mais novas tecnologias são incorporadas para a produção de matérias primas com esse conceito”, conta Patrícia.

- Por Aline Marchiori