5 erros e acertos da chapinha

Pode parecer que não, mas muitas mulheres ainda pecam ao dar aquela alisadinha no cabelo antes de sair de casa. Será que você está entre elas? Só lendo, só lendo...


imagem 1

Fazer chapinha só com o cabelo seco.

A não ser que você use uma daquelas pranchas com vaporizador, o cabelo deve estar totalmente seco. Caso contrário, você pode destruir a fibra que estrutura os fios, além de deixá-los ressecados e com um aspecto queimado. Dica do expert: “Passe um protetor térmico, seque com o secador e reaplique antes da chapinha, para manter a umidade natural dos fios”.


Usar qualquer prancha no cabelo.

Chapas mais finas são para cabelos curtos e franjas. As mais largas, para cabelos médios a longos. Julio explica que “usar a prancha certa facilita o trabalho, ela desliza mais facilmente na superfície do fio e distribui melhor a temperatura”.

imagem 2

imagem 3

Usar a chapa bem quente.

Essa história de “quanto mais quente, mais liso” não é bem assim. A temperatura recomendada é, em geral, 180ºC. Nos cabelos de fios mais resistentes, essa temperatura pode aumentar uns 20ºC no máximo. O efeito liso vem com a técnica: “É melhor passar a chapa várias vezes na mesma mecha do que esquentar demais e queimar o cabelo”, ensina Julio.


Segurar a chapinha de qualquer jeito.

O ideal é que as mechas sejam trabalhadas sempre em posição de 90º. Nunca dobre a prancha para passar no cabelo, como se estivesse curvando. Segundo Julio, “você pode formar uma dobra que pode quebrar seu cabelo”.

imagem 4

imagem 5

Alisar as mechas rapidinho.

Deslizar de forma rápida é um dos segredos para um alisamento perfeito. Crepaldi recomenda desembaraçar o cabelo sempre antes de passar a chapinha (por isso indica fazer uma boa escova antes) e contar com a ajuda do pente: “Trabalhar com mechas embaraçadas pode sensibilizar o cabelo”, alerta o hairstylist.