Guia do Sabonete Íntimo

Entenda por que o sabonete íntimo específico para a higiene feminina pode ser um ótimo aliado no dia a dia

Na hora do banho, o sabonete íntimo ajuda a manter a higiene e a saúde genital feminina. Apesar de parecer bem frágil, a vagina conta com mecanismos de proteção naturais e eficientes, e há quem defenda que o sabonete específico para a região não é absolutamente necessário. No entanto, de vez em quando o organismo precisa de uma mão extra e o sabonete íntimo pode ser bastante vantajoso, se bem usado.

Por que usar?

Um dos principais sistemas de proteção do órgão sexual feminino é a flora vaginal, formada por um conjunto de bactérias “do bem”. Ela torna o pH da região mais ácido, entre 3,5 e 4,5, e, consequentemente, inóspito para a proliferação de fungos e bactérias nocivas. Em outras palavras, a vagina tem uma acidez mais acentuada que o resto da pele do corpo e isso evita infecções, por exemplo.

Normalmente, o próprio organismo consegue regular esse mecanismo, no entanto, períodos de estresse, menstruação, gravidez e o uso de contraceptivos e antibióticos podem alterar o pH vaginal. Nessas horas, os sabonetes íntimos agem como aliados e ajudam a manter o equilíbrio natural da região, porque têm a acidez compatível com a da vagina e, assim, colaboram com a defesa necessária contra possíveis infecções.

Qual escolher?

A melhor formulação para o sabonete íntimo é a líquida, por conta da acidez, que promove uma higiene suave e sem riscos de contaminação. Os produtos em barra costumam ser mais alcalinos, o que pode desestabilizar o pH vaginal e, à vezes, são detergentes demais, agredindo ou ressecando a região. Além disso, os sabonetes sólidos estão expostos a contaminações, quando compartilhados com outras pessoas ou até por ficarem desprotegidos no banheiro.

Opte por fórmulas sem fragrância ou com aroma suave, pois o perfume na composição aumenta as chances de alergia na pele e pode mascarar o mau odor que seria indicativo de alguma doença ou problema genital.

Como usar?

A limpeza com o sabonete feminino, ou qualquer limpeza, deve se restringir à vulva, que é a parte externa da vagina. Fazer a limpeza interna altera a flora vaginal e favorece o aparecimento de doenças. A higiene íntima deve ser feita, no mínimo, uma vez ao dia, e a melhor forma de fazê-la é com água corrente, o sabonete íntimo e os dedos. Evite esponjas, cotonetes e outros apetrechos, porque eles podem raspar e agredir a pele sensível da região.

Limpe bem a parte entre os pequenos e grandes lábios, removendo a gordura branca que se acumula naturalmente, e no sentido sempre da frente para trás, da vagina para o ânus, para não haver contaminação. Enxaguar e secar bem também são etapas importantes para evitar o risco de proliferação de micro-organismos na região.

DICA PROFISSIONAL DA BELEZA: Use calcinhas de algodão ou de outras fibras naturais para manter a região íntima arejada e evitar a proliferação de fungos e bactérias nocivas.

Mantenha a saúde da região íntima com cuidados específicos. Não deixe de conferir o Guia do Coletor Menstrual para conhecer as vantagens de outros produtos próprios para a higiene diária.

- Por Gui Takahashi