- Por Monique Abrantes

Guia de Escova Progressiva

Saiba como conquistar fios com efeito liso, sem frizz, com o máximo de brilho e o melhor: de forma contínua.

A escova progressiva é uma das alternativas procuradas por quem deseja reduzir o volume e o frizz do cabelo, para que os fios tenham efeito liso de forma gradual a cada nova aplicação. O processo químico consiste na quebra das pontes de enxofre, as responsáveis pela forma do cabelo, em uma interação dos ativos com a queratina dos fios sob alta temperatura.

Do que as escovas progressivas são feitas?

No início, as escovas progressivas continham grandes quantidades de ácido formaldeído, o formol, substância química de alto risco à saúde. Por conta disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, limitou o uso do formol na formulação a, no máximo, 0,2%.
Com a melhora das tecnologias cosméticas, surgiram alternativas feitas à base de outros ácidos. Além de proporcionar o desejado alisamento, elas também dão brilho e maciez.

Como fazer escova progressiva

Antes de tudo, você precisará do auxílio de um cabeleireiro profissional para fazer a aplicação e obter os resultados desejados. Tenha os seguintes itens na hora da aplicação:

– luvas descartáveis ou de silicone
– prendedores de cabelo de plástico
– capa para proteger a roupa
– toalhas de algodão
– pincel para cabelo
– pente fino
– escova modeladora
– secador
– prancha

Cada marca tem a sua técnica própria de aplicação, com modos de usar, tempos de pausa, enxágues, etc. Por isso, é fundamental ler o rótulo e seguir à risca as orientações.

Basicamente, a aplicação da escova progressiva segue 4 passos de aplicação:

1 – Teste de mecha e de toque

Certifique-se de que você não tem sensibilidade à fórmula, restrições aos ativos químicos e de que o cabelo está em condições ideais para a aplicação com o teste de mecha e de toque. Cada marca tem a sua indicação de como realizá-los disponível no rótulo do produto.

Normalmente, o teste de mecha consiste na aplicação do produto em uma pequena parte do cabelo para ter certeza de que os fios aguentarão o processo químico sem quebrar ou ficarem extremamente danificados. Assim, todos os passos de uso devem ser feitos na mecha testada, incluindo o tempo de pausa e demais procedimentos. Lembre-se de acompanhar, a cada 5 minutos, a ação do cosmético e verificar se o cabelo se mantém resistente. É importante selecionar fios que estejam mais fragilizados e, de preferência, mais escondidos também, como os da região próximo à nuca ou orelha, caso o cabelo não aguente e se quebre. A aplicação total da progressiva só deve ser realizada depois do teste.

Já a prova de toque, deve ser feita sobre a pele limpa, de preferência do antebraço. Aplique uma pequena quantidade do produto sobre a pele região e aguarde 30 minutos. Em seguida, lave e aguarde 24 horas para observar se não há nenhuma reação como irritação, vermelhidão, alergia. Caso exista alguma sensibilidade, não use o cosmético.

2 – Lavagem do cabelo

Para que os ativos consigam penetrar com mais facilidade na fibra capilar, é recomendado lavar os fios com shampoo antirresíduos. Como ele tem o pH alto, acima de 6,0, que abre as cutículas dos fios, promove a limpeza profunda com a remoção de todos os resquícios de oleosidade, finalizadores, poluição e demais impurezas retidas no cabelo.

3 – Aplicação e tempo de pausa

Um dos grandes segredos para o efeito final liso é a aplicação uniforme por todo o cabelo. Daí a importância da aplicação do ativo redutor de volume em mechas finas com o auxílio do pincel e a distribuição com o pente de dentes finos para que todos os fios fiquem igualmente envolvidos. Além disso, mantenha a distância de 2 centímetros do couro cabeludo. Mesmo com o teste de toque, isso evita qualquer sensibilidade da pele por contato com os ativos químicos da escova progressiva. Além do mais, a própria fibra capilar serve como condutora para levar o ativo a essa parte do cabelo sem atingir a pele.

Outro ponto é que cada fórmula tem o tempo certo de ação no cabelo. Marque no relógio o início da aplicação para controlar quando deverá ser feito o enxágue. Ultrapassar esse limite não garante a ação mais intensa do produto, pelo contrário: ele pode sofrer oxidação e prejudicar o resultado final.

4 – Secar e pranchar

Chega a hora de outro grande passo para uma escova progressiva bem feita: a escovação com o secador e o alisamento com a prancha. Enquanto o secador retira a umidade dos fios, o calor da chapinha interage com o ativo redutor para alterar a forma dos fios.

Para cabelos que sejam rebeldes, muito volumosos e tenham bastante frizz, é recomendável fazer uma escova para alinhar os fios. Já aqueles que ficaram disciplinados já na aplicação, seque livremente com o ar quente.

Outra dica muito importante é a temperatura da prancha na hora do uso: cabelos finos, sensibilizados, loiros e com mechas não devem ser alisados acima dos 180ºC (ou 356ºF) sob o risco de ficarem ainda mais frágeis e com a cor amarelada. Os fios saudáveis e que sejam mais grossos e rebeldes devem respeitar o limite de 230ºC (ou 446ºF).

Pegue sempre mechas finas, com pouca quantidade de cabelo, e deslize a prancha na posição horizontal em relação ao cabelo de forma contínua. Ao se aproximar das pontas, mude aos poucos a posição da chapinha para a vertical de forma que as extremidades dos fios fiquem enroladas nela. Isso garante um acabamento ainda mais natural ao cabelo.

Para prolongar o efeito liso dos fios, é fundamental fazer a manutenção diária com cosméticos específicos para Cabelos Quimicamente Tratados. Assim, a duração do efeito brilhante, macio e da redução de volume fica ainda maior.