- Por Karina Hollo

Esfoliante físico e químico: qual a diferença e quando usar cada um

Saiba qual é o produto mais indicado para fazer esfoliação na pele do rosto

Você já deve ter ouvido falar que esfoliar faz parte do caminho para uma pele mais bonita, macia e saudável. “A esfoliação é um processo de renovação da camada superficial da pele por meio da descamação – que pode ser mais ou menos intensa. Isso deixa a pele com aparência mais limpa, lisa e viçosa”, fala a dermatologista Marcela Gomes. Mas na hora de escolher seu esfoliante deve vir a pergunta: físico ou químico? A gente explica para você saber como escolher entre os dois tipos.

Por que utilizar esfoliante físico ou químico?

Esfoliar a pele é uma ação poderosa que ajuda na renovação celular. O processo consiste na aplicação de produtos que vão remover as células mortas na camada superficial, acelerando um processo que, na verdade, é natural. A esfoliação é responsável por estimular o desenvolvimento de uma pele com brilho, maciez e viço.

Para isto, é imprescindível saber como escolher entre esfoliante físico e químico, a fim de utilizar o ideal para seu tipo de pele.

Principais diferenças

Os dois tipos têm o mesmo propósito, mas contam com diferenças básicas em relação ao processo de uso.

O esfoliante físico utiliza o atrito a seu favor. A esfoliação física é a mais comum e retira as células mortas a partir do atrito com as partículas presentes no esfoliante. “É semelhante a uma massagem com uma substância (creme ou gel) que possui pequenos grânulos”, fala Marcela. Pode ser usada por todos os tipos de pele, desde que se tenha o cuidado de não esfregar com muita intensidade, pois pode agredir as peles mais secas e sensíveis.

Já o químico não tem grânulos e funciona à base de componentes de PH ácido que ajudam a descamar a pele, trazendo à tona a camada nova e cheia de vida. A esfoliação química leva à remoção de células mortas por meio da descamação causada por uma substância química com ação esfoliante, como os ácidos salicílico, retinóico e glicólico. “Neste caso, não se esfrega o produto. Apenas aplica-se na pele, onde permanece por tempo variado em cada caso. É uma esfoliação mais intensa, por isso exige cuidados após a aplicação. Pode ser usado em todos os tipos de pele, desde que bem indicada, levando em conta a real necessidade”, diz a médica.

Existe uma periodicidade indicada?

Sim, há uma frequência ideal para esfoliar o rosto! A esfoliação física pode ser feita até duas vezes por semana. Já a química, dependendo do ácido e da concentração usados, pode ser feita de 1x por semana a 1x ao mês. Contudo, consulte o seu médico para que o processo seja feito da forma mais assertiva possível!

Gostou das dicas? Deixe seu comentário e faça sua escolha de produtos para esfoliação e cuidados para pele.

Leia mais sobre cuidados para pele em My Beauty