solucao-de-beleza carla-vidal 2014-07-28 cuidados-para-pele materia Como tirar manchas do rosto Não suporta mais as marcas que insistem em estragar seu look? Contamos como prevenir e acabar com elas. https://cdn.belezanaweb.com.br/image/upload/v1/loucas-por-beleza/images/como-tirar-clarear-manchas-do-rosto/materia_bg_1.jpg
imagem 1


Elas são o segundo motivo que leva as brasileiras ao dermatologista. Você está nessa turma? Existem vários tipos de manchas de pele, com diversas causas, profundidades e modo de instalação.

As mais comuns são as melanoses solares, efélides, o melasma, as fitofotodermatites e as hipercromias pós-inflamatórias. Para saber qual é a que incomoda você e como trata-la, continue lendo.

imagem 2


“As melanoses solares – as sardinhas -- são causadas principalmente pela exposição solar”, conta Carla Vidal.

Apesar de muita gente achar um charme, elas nada mais são do que acúmulo de fotoenvelhecimento. São pintinhas pontuais e surgem quando você toma sol, no rosto, no peito, nas mãos...

imagem 3


“O melasma pode ter várias origens: exposição solar, fatores hormonais, inflamatórios...”, explica Carla.

Estas são mais escuras e mais extensas que as anteriores e aparecem nas áreas mais expostas ao sol, como as bochechas, nariz e supra-labial (no buço), e no colo.

imagem 4


“As fitofotodermatites são causadas por substâncias químicas produzidas por plantas (limão e outras frutas cítricas, por exemplo) que, em contato com a pele e expostas ao sol, provocam reação inflamatória seguida de hipercromia (mancha)”, fala a médica.

Tem mais: se você tomar sol em cima de um machucado, uma espinha ou da pele queimada por depilação com cera, também corre o risco de ficar com uma marca.

imagem 5


Para evitar as manchas é indispensável usar filtro solar adequado (FPS mínimo 50, se tiver a pele clara, 30, se a pele for negra) – e se lembrar de reaplicar ao longo do dia, a cada duas horas.

“No caso das fitofotodermatoses, evite o contato com substâncias que podem provocar esse tipo de reação inflamatória e posterior hiperpigmentação da pele.”

imagem 6


O tratamento depende do tipo da mancha e do tipo de pele, mas tem como base os clareadores, os hidratantes associados a ativos clareadores, antioxidantes e filtro solares que já apresentam associações com antioxidantes e cor.

“Procurar logo um dermatologista impede a progressão das manchas, permitindo que o tratamento seja realizado em um tempo menor e com maiores chances de sucesso”, alerta Carla.

Ou elas podem ficar mais intensas e profundas, e nunca mais saírem.

imagem 7


As fórmulas clareadoras funcionam como um conjunto de princípios ativos que inibem o processo de produção da melanina.

“A boa fórmula consegue unir substâncias que agem nas diversas etapas da produção de melanina, aumentando a eficácia do produto.”

Os principais ativos disponíveis são: hidroquinona, ácido glicólico, ácido kójico, arbutin, belides, skin whitening complex, acido fítico.

“O ácido retinoico aumenta a penetração de substâncias clareadoras na pele, por isso costuma ser associado a clareadores em algumas formulações.”

imagem 8


Os lasers usados como tratamento coadjuvante das manchas são os Q-Switched, com comprimento de onda de 1064 nm (Revlite, Spectra, Elektra-Harmony), associados ou não a luz intensa pulsada.

“No entanto é necessária uma avaliação do tipo de mancha e do tipo de pele de cada paciente para melhor indicação do tipo de laser ou procedimento a ser realizado”, finaliza a especialista.

MAIS DICAS DE BELEZA DOS NOSSOS EXPERTS